segunda-feira, 28 de abril de 2008

Poema do Caos

Este é, indubitavelmente, o meu fractal preferido!!!


Nascemos do caos
de um delírios de corpos amando-se,
misto de paixão, suor e prazer.
Nascemos com a imensa necessidade de vida
e o incontrolável desejo de morte
que ronda os nossos passos
sombra negra
e certeza de partir.
Somos animais hipócritas vestidos de razão,
ocultando nas nossas veias o sangue vermelho do instinto.
Cai a minha máscara
e sei que preciso viver a intensidade de cada desejo.
Sentir sem medo de sentir,
caminhar sem medo de errar,
errar sem medo de acertar.
A minha alma adormece...
a chama daquilo que um dia poderia ter sido.
A minha vida espreita o dia de poder
explodir em riso e festa
aquilo que ainda guardo para viver.


45 comentários:

Jade disse...

Very very interesting photos. they caught my eye as I was scrolling thru here.Keep up the good work!

Rui disse...

Para depois regressar ao caos.

O Profeta disse...

Somos tão pouco...tão insignificantes...~


Doce beijo

CATARINA POETA disse...

Fantástica expressão da dualidade do ser e do existir.
Beijo!
Catarina Poeta

Maria Clarinda disse...

Lindo!!!!Lindo o poema e suas entrelinhas...linda a imagem!
Jinhos mil

daniel disse...

Olá

A poema é estupendo, como imaginação poética, vejo assim, acho maravilhoso.
Porém fixei-me, em - ... o irresistível desejo da morte... - e o imaginário assustou-me um pouco, mas é poesia... e pensei no caos!

Considerações,
Daniel

Vieira Calado disse...

O fractal é de facto espectacular.
E do poema também gostei bastante.
Beijinhos

Luis F disse...

Do nada nascemos e regressamos com tudo novamente ao nada.

Parabéns amiga, pelo poema...

Adorei

Bjs
Luis

Iana disse...

Nem o universo se compara à bela amizade.
Essa seara é meu caminho da verdade.
De amor de amigos, na simplicidade
Construí o abrigo da sinceridade
Com os seixos da humildade
O alicerce na cumplicidade
No chão da claridade
Pedras da vontade
Cor de saudade
Luz e bondade
Sem veleidade
Com caridade
Sem ver idade
Na feliz cidade
Da flor da eternidade
Onde habita a felicidade
De sempre contar com tua amizade.

Beijos mil.. ando meio ausente, mas estou voltando aos poucos..lol..

Thiago disse...

Não guardes nada...vive agora mesmo!!

Convido-te a conhecer a história de A. ;-)

Multiolhares disse...

Fiquei deliciada com a foto, depois de ler o poema
Nem sei que te diga, esta tudo belíssimo
Bj

Nyna disse...

Mundo ciclico, caos > ordem

Lindoooo!

Lampejo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lampejo disse...

Lyra,

É como se não nascêssemos para ser feliz, e sim, para lutar-mos intensamente pela nossa felicidade.


Querida,

(a)braços e flores de girassóis :)

Pena disse...

Linda Amiga:
Uma expressão admirável de um sentir/Ser.
Creio que o que lhe faz dúvida é o existencialismo frágil da vida.
Belas palavras num poema lindo.
Noto que no final há esperança no amor. Na vida.
A insatisfação pertença de um ser majistral em busca da felicidade.
Adorei!
A inconstância dos momentos.
Beijinhos amigos profundos e sinceros.
Com respeito pelo que é e significa.

pena

Marta Ribeiro disse...

Somos feitos no caos..nascemos no caos e acabamos no caos também


beijinho

legivel disse...

o meu caos
não é tanto para o caótico
os maus são bons e os bons são maus
é assim a modos que anedótico
e percebe-se
-como dois mais dois serem cinco
de não ter um caos menos certo
com contas sérias não brinco
nem com oceanos no deserto.
é meu este caos imperfeito
e levo-o bastante a peito.

* hemisfério norte disse...

kaus´
.
corpo no chão
.
linguagem caos
em poema
de
letras s o l t a s
bjs
a
http://miniminimos.blogspot.com/

Delirium disse...

Eu choraria todo o tempo se pudesse fazer rir uma pessoa em outro lugar.
A propósito, adorei o poema, adorei mesmo, principalmente a parte:
"Cai a minha máscara
e sei que preciso viver a intensidade de cada desejo.
Sentir sem medo de sentir,
caminhar sem medo de errar,
errar sem medo de acertar.
A minha alma adormece...
a chama daquilo que um dia poderia ter sido."
Perfeito pro que sinto.

Poeta Mauro Rocha disse...

"Nascemos do caos, vivemos no caos, mas sempre tempos algo guardado para o final" Belo poema, parabéns.

MAURO ROCHA

Noslen ed azuos disse...

Olá poetisa, suas palavras confunde mentes lógicas e banqueteia aquelas mentes investigativas, curiosas e rebeldes; e estas imagens de fractais funcionam em algum lugar em mim como inspiração e desejo, parecem lembrar tempo de criança,

suas visitas ao Apoena o enriquece, aliás,tem uma nova postagem lá.

Bjs
NS

Ravnos_Blacklotus disse...

Com o delírio,
impressionantemente
cai a máscara.
de face limpa
percebemos que estamos
em uma grande ilusão.

@},-----

Fernando Rozano disse...

o caos sempre presente, sempre passado e sempre futuro. belo e instigante trabalho de conjugação entre as artes. abraços.

kakauzinha disse...

Um poema que é uma viagem à nossa essência pois somos feito de tudo isto.

Depois há os caminhos que cada um escolhe, melhores ou piores, menos caóticos dentro de um caos. O resto é sempre uma incógnita.

Gostei muito, perfeito, muito assertivo.

Beijinhos azuis.****

Carla disse...

e que caos tão perfeito
beijos

Defensor disse...

Nossa única certeza na vida: a de que vamos partir...
Belo poema.
Abrax

Crisfonseca disse...

Lindas palavras, lindo espaço este teu.
Bjs
Cris

Maria Clarinda disse...

Voltei porque o teu fractal me marcou demais...aproveito e deixo-te um beijo.

Hanah disse...

Maravilhoso !!!!!

De dentro pra fora, de fora para dentro...

Lindo !!!!

****
Sobre o manifesto, como vai ser dirigido ao nosso presidente e lá eles pedirem nº de documentos... infelizmente só é possivel a cidadãos brasileiros...
mas se conhecer algum divulgue...
já estamos quase chegando na meta...

***
Beijo e até breve também

Divinius disse...

Muito bonito e faz pensar...)*

impulsos disse...

Como já alguém aqui disse,somos tão insignificantes...
Um poema muito belo, que me encheu a alma e me deixou a pensar no valor que tem a vida e no papel que cada um de nós tem perante ela própria.

Um beijo

carvoeirita disse...

é teu???
Lindo!Lindo!!!!!!

ps: nunca peças desculpa por ser sincera.é o que nos torna autenticos e verdadeiros.

jmack disse...

" Nascemos com a imensa necessidade de vida
e o incontrolável desejo de morte"

e no fim algo muda ... não é ?

jmack

mixtu disse...

caos
delirios de corpos.. sombras negras...
cada um queda com uma máscara
alma.. dorme

poesia

abrazo serrano (há por aí bom vinho?)

Gerlane disse...

E que vivas tudo e intensamente!

Beijos pra ti!

Oxyder disse...

de facto aquele fractal está 5 estrelas :D

bjs**

Sérgio Figueiredo disse...

Do nada nascemos e do nada nos vamos... o que somos, afinal?
O caos instala-se na nossa cabeça.

Beijo

L.Reis disse...

que apenas esse caos nos baste...e nada menos que ele...cada certeza,cada sentido, cada razão é apenas mais uma grade que pomos no horizonte.

Luis F disse...

O Mar de Sonhos faz um ano de existência, venho assim agradecer toda a amizade.

O meu obrigado

Com amizade
Luis F

Auréola Branca disse...

"Viver, e não ter a vergonha de ser feliz. Cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz..."
Gosto da vida. Gosto de acordar de manhã com a incerteza de quais felicidades terei ao longo do dia. Não penso nas tristezas. Encho-me de expectativa ao saber que ainda psso, hoje, ser feliz.
Muito bom seu post.

Leonor disse...

entre a ordem e a desordem, o caos e ..., a minha organização, sempre desorganizada, oscila, sempre.

Acordomar disse...

Um dos textos que mais gostei de ler num blog.
parabens Lya*

Beijitos***

Angel of Light disse...

Querida, ADOREI o teu poema... estou caoticamente sem palavras.

A foto é simplesmente BELÍSSIMA! As espirais... o retorno ao centro... à origem de tudo.

Fica bem.

Beijinhos de Amor, Paz e Luz!

Bandys disse...

lindo.
Trouxe uma lembrança,
beijos

presente

Lyra disse...

Bandys:

Obrigada, do fundo do coração, pelo teu gentil presente!!!

Muitos beijinhos para ti.

;O)