quarta-feira, 2 de abril de 2008

A linguagem do Caos

Como todos já devem ter reparado, os fractais (do latim “fractus” que significa “quebrado”, irregular) exercem em mim um imenso fascínio: pelo que eles representam e pela sua omnipresença universal. Apreciá-los é um dos grandes prazeres que tenho na vida e, por isso, quero partilhar.

Desde os primórdios, a curiosidade e a inteligência humanas levaram-nos a procurar padrões naquilo que era aparentemente aleatório. Assim se foi construindo o conhecimento científico, descortinando a ordem que se esconde por detrás dos fenómenos naturais. A Teoria do Caos, ao contrário do que o nome possa sugerir, vem no seguimento dessa busca de um padrão em todo o comportamento irregular.

Podemos entender os fractais a partir da geometria fractal que busca, exactamente, padrões organizados de comportamento dentro de um sistema aparentemente aleatório. São as estruturas de auto-semelhança, quebradas, complexas, estranhas e belas desta geometria que conferem uma certa ordem ao caos, e esta é muitas vezes caracterizada como sendo a linguagem do caos.

O que é nos fascina então neste Caos, que veio destruir as aspirações humanas de ordem universal? É que ele é um velho conhecido do Homem: das suas emoções, das suas atitudes, das suas decisões. Ele representa aquilo que temos de espontâneo, mesmo quando tentamos ser racionais. Ele representa as incertezas de sempre, mesmo quando achamos que temos resposta para tudo. Mas também representa que temos algo a dizer sobre o nosso futuro, que as nossas acções, por insignificantes que pareçam no geral, podem ter um peso fundamental; que o devir não deixou de estar nas nossas mãos. Ele representa o próprio Homem, nunca esquecendo que somos partes semelhantes ao todo original…

38 comentários:

Sonho Meu disse...

Agora entendo a tua "linguagem do caos". EXCELENTE ARTIGO!!!

Gosto de te ler, Lyra, porque tornas as coisas mais complexas em brincadeiras dos sentidos.

E como dizia o outro (eu):
de génio, de fractal e de louco, todos temos um pouco...

Beijos Virtuais Fraccionados!

Luis F disse...

Venho agradecer e retribuir a visita ao meu Mar de Sonhos.

Conheci o teu blog e adorei ler os textos publicados.

A Linguagem do Caos, está perfeito.

Parabéns

Gerlane disse...

Maravilhoso texto! "Pra variar", muito bem escrito!

E é esta a natureza humana: a do contraditório, da busca da certeza norteada pela própria incerteza da vida atrelada à morte.

Parabéns! Gostei muito deste post!

Beijos pra ti!

Sérgio Figueiredo disse...

Lyra,

Tenho de reconhecer que o teu post é um tanto académico. Fora da minha área académica. Considero apaixonante e o video é maravilhoso. Agora...peço-te desculpa pela ignorância mas...diz-me: os Fractais têm alguma coisa a ver com as diferenças de personalidade do homem?
É que apesar de tudo o teu post não deixa de despertar interesse.

Beijo

Vieira Calado disse...

.
Creio que a maior parte das pessoas ainda não ouvir falar de fractais, ou se ouviu, não sabe o que é.
Aprende-de umas coisas, neste blog.
Um abraço.

Kênia Garcia disse...

Muito bom.
Gostei do vídeo.

Um excelente resto de semana pra ti, grande beijo!

Rui Caetano disse...

A teoria do caos é uma forma de ver o mundo diferente. Gostei muito de o ler. As fracturas na vida existem em cada um de nós em cada recanto das nossas vivências.

Rafeiro Perfumado disse...

Não me choca esta teoria. Sempre considerei a perfeição como um defeito, pois é na imprevisibilidade que reside o encanto da nossa raça.

Beijo!

Starseed disse...

Olá Lyra!

"...partes semelhantes ao Todo original". Sim, somos todos parte da mesma Fonte.Extensões da Mónada, explosão da mente do Criador... Nós somos a Fonte Criadora!

Beijinhos,

Starseed

Milena Marília disse...

o caos, sempre o desconhecido a descobrir. sempre encatador.
Buenas noches para ti!

Lyra disse...

Sérgio Figueiredo:

Em primeiro lugar queria indicar um excelente artigo para quem ficou curioso e deperta agora para os fractais: "Fractais: Uma nova visão da natureza", de Osame Kinouchi - que poderá ser lido seguindo este link:
http://stoa.usp.br/osame/files/355/1860/Fractais_Ediouro2.pdf

Quanto à tua pergunta, apenas posso conjecturar...Visto que a omnipresença dos fractais se torna um facto quando os entendemos e tendo em conta que
"não vemos o mundo com os nossos olhos, mas com os conceitos que habitam a nossa mente", o reconhecimento deles (os fractais) pode alterar-nos a personalidade, visto que altera o conceito que temos da vida.
Portanto, quem os (re)conhece terá, inevitavelmente, uma personalidade diferente de quem nunca teve esse contacto...

E o conceito que fazemos é tão subjectivo como a nossa personalidade, como aliás se pode ver pelos comentários que, tão bem, foram feitos aqui!


;O)

O Profeta disse...

A teoria do caos...a complexidade desarmonizada pela mão de um zombeteiro Deus?


Doce beijo

Angel of Light disse...

Querida, adorei este teu post. Já tirei o link que deixaste em resposta a um dos comentários e, interrompi de o ler, para te vir dar um grande beijinho. Vi o video que deixaste, juntamento com um dos meus anjinhos, um cristal de dois anos, e, imagina, ficámos os dois absorvidos pelas imagens, pela música, pelo movimento... No final, o meu cristal disse "Mais, mãe!"

Subscrevo o que o Starseed escreveu aqui.

Beijinhos cheios de Amor, Paz e Luz!

o das caldas disse...

Obrigado pela partilha e dispenso-me de mais considerações por que a minha vida é a de fracturar o barro.Muitos beijinhos das Caldas

Iana disse...

Algumas pessoas nos encantam
sem pedir a menor permissão.
Aparecem assim de repente,
roubando a cena, e muita das
vezes o filme inteiro.
Preenchem o espaço, iluminam os
cantos, fazem brotar sorrisos,
trazem inspirações.
Invadem nosso mundo
e nossos corações.
São pessoas que realmente tornam a
vida mais bela...

Assim como VOCÊ !!!

Beijos
Iana!!!

Germano V. Xavier disse...

E eu que sempre preferi o caos de mim, senti-me arrefeciso com o teu texto...

É uma ode à loucura interna das gentes...

Que sejamos caos, e não certezas...

Beijos e apareça sempre...

Germano

Maria Laura disse...

Confesso-te que não entendo nada de fractais mas, assim à primeira, parece-me aceitável que, no caos, existam padrões. Porque não? Há padrões nos comportantos ditos desviantes e erráticos. Porque não transferir isso para os fenómenos naturais?
Gostei muito do teu post. Conheci uma Lyra na net, em tempos, mas penso que não és tu. :)

Narrador disse...

Olá Lyra....

Adorei! E a teoria das Super cordas?

Poderá destruir essas aspirações humanas na ordem?

Menina do Rio disse...

Cultura pura!
É mais ou menos como o ambiente em que vivemos. Caos organizado. E a gente se encontra no meio dessa arrumação desarrumada. O que pra uns é bagunça organizada; pra outros é organização bagunçada, rs...
Tenho visto algo sobre Fractais em blogs e tem sido mostrado na forma de imagens montadas e distorcidas. Nunca consegui entender esta forma de arte e a vejo como uma forma de expressão.

Adorei conhecer-te

Marta Ribeiro disse...

Meu amor
que quartos na memória
não ocupamos nós
se não partimos...

Mas porque assim te invento
e já te troco as horas
vou passando dos teus braços
que não sei
para o vácuo em que me deixas
se demoras
nesta mansa certeza que não vens.

Alma Nova disse...

Escrita clara, precisa e descomplicada...que nos apresenta, Humanos, com toda a complexidade simples que encerramos.

Lyra disse...

Caro Narrador:

Essa é, de facto uma pergunta pertinente e interessantissima!!!

Esse assunto é muito complexo e esta teoria surge exactamente para ordenar mais conhecimento na tentativa de ir ao encontro de explicações que se encaixem em nossos raciocínios, ainda que estes sejam por ora muito mecanicistas.

A Teoria das Super Cordas (entenda-se estas cordas como minúsculos "laços", os constituintes elementares da matéria que vibram de acordo com a sua energia e não como sendo partículas pontuais - tal como aprendemos na escola) surgiu para tentar esclarecer alguns aspectos do comportamento das partículas elementares, para os quais a Mecânica Quântica e a Teoria Geral da Relatividade apresentaram algumas dificuldades ao tentar explicá-los. Apesar de a Física das Partículas Elementares ter obtido muito sucesso ao se utilizar da Teoria Quântica para descrever o comportamento e as propriedades dessas partículas, essa teoria somente funciona bem quando a gravidade é tão fraca, que pode ser desprezada ou mesmo assumida a sua não existência. A Teoria da Relatividade Geral de Einstein, que engloba a Lei da Gravitação Universal de Newton, é capaz de descrever muito bem as órbitas dos planetas, a evolução das estrelas, o "Big Bang" e até os buracos negros; entretanto, para que essa teoria seja satisfeita, é necessário que o seu Universo seja totalmente clássico (Newtoniano) e que a Mecânica Quântica não faça parte da Natureza Universal. O grande desafio da Física actualmente é unificar essas duas teorias básicas: a Teoria Quântica e a Teoria da Relatividade, numa teoria completa a respeito das partículas subatómicas. Existem, actualmente, várias teorias ou modelos parciais que descrevem muito bem certos aspectos dos fenómenos subatómicos, ainda que não completamente. A Teoria das Super Cordas, com certeza, também tem suas deficiências, mas ela pode servir de elo entre a Mecânica Quântica e a Relatividade Geral (e a gravidade) para explicar o comportamento de partículas que interagem em um ponto singular do espaço-tempo à "distância zero" uma das outras, como acontece no interior dos núcleos atómicos. Como essas partículas tão infinitamente pequenas, com massa quase zero, e que, por esse motivo, não deveriam apresentar um efeito gravitacional forte, podem estar tão próximas umas das outras? Os físicos têm tentado encontrar uma explicação para esse paradoxo há muito tempo e costumam chamar esse efeito gravitacional, ainda inexplicável, de Gravidade Quântica.

Vale a pena ressaltar também que, segundo alguns pesquisadores, a Teoria das Super Cordas não é uma teoria pronta e definitiva, e ela hoje é subdividida em vários caminhos, nos quais as variáveis são as mais diversas, indo desde o formato das cordas (aberto ou fechado), o tipo de partículas elementares a que elas dariam origem (bósons, férmions ou ambos), até o número de dimensões no espaço-tempo para que a teoria fosse possível (de 10 a 26 dimensões).

Mas por mais que tentemos explicar tudo, a pergunta é sempre a mesma: Quem somos, de onde vimos e para onde vamos?

P.S.- Aconselho vivamente, para melhor entender estas... cordas... uma visita aqui:
http://runft.blogspot.com/2008/02/decima-dimeno.html
Vale mesmo a pena!

;O))))))

Lyra

Liberdade disse...

É, de facto, incrivel, a forma como consegues escrever com simplicidade as coisas mais complexas do universo e do ser.

Gostei muto do que li!
Tens um caos inteligentemente ordenado dentro de ti.

Abraços virtuais

Narrador disse...

Lyra

Até me senti mal de dar tanto "trabalho". Mas fiquei muito esclarecido. Permita-me, mas você dá-lhe!

Pois...De facto a unificação das duas teorias, a quântica com a da relatividade seria uma grande conquista, embora me pareça que a descoberta da distorção espaço-tempo continue a complicar essa união...Se calhar estou a dizer disparate...

Eu sou só um mero curioso. Mas a teoria quântica e as descobertas de Heisenberg, têm a minha mais profunda atenção e dedicação...Quando o tempo permite.

Agradeço a sua resposta! Foi de facto uma grande atenção da sua parte! Vou lá pesquisar...

Fique bem!

Bem Haja

multiolhares disse...

Existem teorias, mas não conseguimos chegar á verdade, talvez porque a verdade não exista, por isso se diz que há só meias verdades, como o tempo não passa de uma conjectura, pois o mesmo vive na eternidade, dizem os grandes gurus que podemos ver o caos com a mente liberta sem barulhos quando entramos no nirvana, que todas essas portas se abrem e que no momento vivemos na ilusão, cada vez mais sinto tudo uma ilusão, vivemos de conceitos, precisamos de explicações de nomes para tudo, e tudo isto nos leva á identificação que é o pior erro para quem procura a verdade
beijinhos

Esconderijo da Bandys disse...

Querida,
Obrigada pela visita, adorei.
Olha esse video é demais, muito lindo.
Estou te linkando la
beijos

Luis Eustáquio Soares disse...

um golpe de asas jamais abolirá o acaso, lyra... um lance de caos não abole o caos, assim como a nossa caótica ordem não elimina a ordem dos fractais, com sua constelação sem fim de sentidos, de vozes, de devires multi-referenciais.
belo texto,
b
luis

Éverton Vidal disse...

Existência é Caos. É framentaçao...

O texto além de muito bem escrito como disse a gerlany é novo, pelo menos para mim, nao havia pensado assim.

Parabéns Lyra!

Éverton Vidal disse...

Adorei o vídeo. Acabo de colocar seu link no meu blog (um pecado nao ter colocado antes). Seu blog é um prato cheio de sabores novos.

Abç.
Inté!

Pena disse...

Simpática Amiga:
Um vídeo perfeitamente adequado ao tema inovador que expressou maravilhosamente.
Tento raciocinar de forma coerente e racional.
Fala-me de emoções, atitudes e decisões. Acredito que as tem em elevado número? É tão doce. Vive de sobriedade, lucidez e de sensatez no seu puro e belo Ser/estar. Imenso!
Sou uma pessoa expontânea que tento expressar da forma mais optimista o que possuo em mim.
Acredito que a tem em si com preciosidade e doçura.
O futuro é imprevisível, mas tenho presente e, acredito na felicidade da Humanidade tão injusta, sofrida e, para mim, desencatada de hoje.
As suas ideias são sublimes porque comportam beleza e talento. Inovação existencial.
Que "A Linguagem do Caos" se concretize na harmonia e bem-estar das pessoas de bem.
Sim! Acredito que somos partes semelhantes do todo original.
Post notável brilhante e imenso poder de deslumbrar, como você. (Desculpe!)
Beijinhos de amizade que respeitam muito.
Estima gigante.

pena

lua prateada disse...

Belo texto e aqui se aprende algo importante.
Amiga passei para te desejar um belo fim de semana e dizer-te...
Não caminhes á minha frente,posso não saber seguir-te, mas também não caminhes atráz de mim, posso não saber guiar-te.
Mas caminha a meu lado e, sê apenas minha amiga.
Beijinho prateado com carinho
SOL

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá, temos um sentimento em comum... Ambas adoramos o Faial...

Um botão está a surgir...
Vai formar-se uma flor,
será perfeito ao abrir,
será frágil como o amor ?

Votos de bom fim de semana...
Beijinhos, Fernandinha

Å®t Øf £övë disse...

Lyra,
Todos nós vivemos num caos aparente, mas a verdade é que há uma lógica para tudo, muitas vezes nós não temos é a capacidade de a entender.
Bom fds.
Bjs.

f@ disse...

Mto bom post e de grande ajuda para quem como eu precisa entender mais... o teu caos é a junção dos pedacinhos e a tua linguagem um grande empuram....adorei beijinhos
há passa lá nas nuvens que tem uma nova história... dá mais trabalhito a ler pois tens de alterar o zoom...mas é "pequenina" beijinhos das nuvens

Madalena Barranco disse...

Querida Lyra, tua filosofia me transporta a cada pedacinho do próprio fractal, que se humaniza a cada nova experiência no caos. Eu também, como alguém já disse em um comentário anterior> agora entendo melhor teu belíssimo blog. Obrigada! Beijos. P.S. E muito obrigada por colocar meu link eu teu blog - atualizei o meu e também coloquei o teu.

Cygnus X1 disse...

"que o devir não deixou de estar nas nossas mãos. Ele representa o próprio Homem, nunca esquecendo que somos partes semelhantes ao todo original…"

Somos mais do que partes semelhantes! Somos o próprio todo original, a parte que evoluiu ao ponto de se interrogar sobre o próprio todo!

O devir representa a eterna mudança - o rio que permanece após todo o peso, inevitabilidade e erosão das águas que por ele passaram ou passarão.

O devir é o todo. - existirão sempre primaveras, flores e amola-tesouras após a nossa passagem - Mas tal como o todo também nós sofremos o efeito da erosão...

P.S. hoje apeteceu-me andar por cá a comentar-te (fiquei foi com montes de trabalho atrasado)

Lyra disse...

Oh Cygnus, amor meu, devir da minh´alma, que instalaste a ordem no caos que era o meu coração.
Tu e eu fazemos, agora, parte de um outro todo: nós

Amo-te muito!

;O)

Lyra disse...

Éverton Vidal:

Muito obrigada pelo Selo com o qual me condecoraste e pela amizade!

Beijinhos.

;O)