domingo, 11 de maio de 2008

Reflexões

Alertemos a razão para a necessária morte das razões, abrindo passagem à autonomia de sentir, pensar e agir. É que o espírito liberto ama e odeia, com igual paixão. Só amor e mais amor é banha, unto. As ervas daninhas têm de ser afastadas, frequentemente, arrancadas – doa a quem doer. Não será sempre assim, mas é-o com certeza quando a angústia intolerável põe em risco a coesão própria. Só uma revolução/mudança catastrófica, a reviravolta que inverte o sistema – e não a revolta que apenas o abala –, nos coloca na rota da liberdade e da expansão. E só então virá o esplendor do conhecimento – até aí abafado – e a fragrância da felicidade – da qual somente pressentíramos um longínquo aroma...

Todos desejamos não nos desiludir. Isto porque a ilusão é o resplendor da esperança, a sua alma gémea irrequieta, o verbo que a transforma em sonho; sendo este o motor da acção – o sonho comanda a vida, diz-se e com razão. Quem espera desespera – se não se ilude. De ilusão em ilusão, vamos caminhando na senda da possibilitação – tornando o aparentemente impossível no eventual e provavelmente possível. Porém, aprender com a desilusão é o acerto do passo para nova ilusão mais adequada à margem de possibilidade. Nisto consiste o segredo da criação. Construímos o futuro da mesma forma que conhecemos o presente: de mito em mito, aprendendo com o erro de concepção, vamos formulando a hipótese que mais rigorosamente explica o acontecimento. É este o princípio da ciência. Quer dizer: a hipótese é sempre provisória e refutável, tal como a ilusão é sempre efémera e corrigível. A omnipotência no mundo do pensamento e a omnisciência no do saber conduzem os incautos ao deslize para o delírio e/ou para a indulgência mental...

Reflicto ao som desta música...

SECRET GARDEN - SONG FROM A SECRET GARDEN

29 comentários:

EDUARDO disse...

"Porém, aprender com a desilusão é o acerto do passo para nova ilusão mais adequada à margem de possibilidade"

Sem palavras amiga, PODEROSA reflexão!!!!

Edu

Delirium disse...

Entendo essa ilusão como o sonho, o desejo. Eles mudam e morrem com o tempo... mesmo que dolorosamente, como se referiu às ervas daninhas. E sim, necessária é uma revolução(que como diz meu professor de indústria, só pode ser chamada de revolução quando transforma o modo de organização e entendimento da sociedade, neste caso, nas idéias.

Atrasadamente, parabéns pelas Bodas de Papoilas e aproveitando a oportunidade, Feliz dia das mães. Ah, tomei a liberdade de fazer referência à você no blog =).

Beijokas e tudo de bom.

carvoeirita disse...

aprender com a desilusão faz-nos muitas vezes embarcar na nau do negativismo, da precaução...no meu caso..das portas entreabertas..
Eu fui educada pelos meus avós...quando caía numa rasteira da vida o meu avô dizia-me..sabes porque caímos?Para aprendermos como nos levantar e caminhar mais seguros...
Eu achava que ele tinha razão...ainda acho...estou é muito cansada de cair e recomeçar. caminho a medo, pé ante pé para nunca mais cair tendo plena consciência que perco a adrenalina das correrias e o cansaço bom de uma longa maratona...
Texto lindo...como sempre...

poetaeusou . . . disse...

*
soberbo texto
,
para meditar
e
repercutir,
ecoar,
ressoar,
reflectir,
eetumbar,
,
gratas conchinhas, dou-te
,
*

daniel disse...

Olá

Não só partilho da tua bela reflexão, como usei esse lema de vida, o que me leva a um optimismo, talvez exagerado.
A vida não é um mar de rosas, aliaz ela seria monótona sem os previsíveis entraves.
É certo devermos aprender, com os próprios problemas. A existência deve mover-se, sempre, dentro de apredizagem permanente.
Parabens, pela reflexão.

Daniel

Oliver Pickwick disse...

Há tempos não me deparava com verdades tão verdadeiras como uma singela notícia da TV. O essencial da vida exposto com lógica cartesiana e razão, no entanto, paradoxalmente, nomeando o "sentir" como a locomotiva da vida.
Parabenizo-a pelo artigo, cara Lyra.
Um beijo!

Pena disse...

Linda Amiga:
Este "Reflexões é decorado por si com brilhantismo.
Podemos andar de forma eterna de mito em mito, saltando e pulando rumo à ilusão do ser.
Os valores em que acreditamos não podem ultrapassar a barreira da sensatez para ir encontrar a difícil e árdua sensação de delírio ou indulgência mental.
A sobriedade é um bem em nós, humanos, feitos de carne e ossos.
Acredito que, a omnisciência só Dele, de Deus.
Esta hipótese pode também ser recusada e anulada. Quem sabe?
A perfeição não existe, nem nunca existirá. Somos Humanos de forma finita e com o trajecto último perfeitamente definido.
Excelente Post. Olhe, a filosofia não existe, mas existe um maravilhoso pensamento como o seu.
Admirável Post. Sensacional.
Beijinhos amigos de estima e imenso respeito

pena

JPD disse...

Uma pessoa equilibrada (Se for possivel encontrá-la) funciona com

- razão
- emoção
- vontade

Depois tudo terá uma orientação moral para evitar resvalar.

Há também quem não prescindidndo da ética, a define como a melhor resposta para cada problema em cada momento.

Concordo também que as preocupações estéticas devem ser omnipresentes.

MARIA MERCEDES disse...

Dos textos mais lúcidos que tenho lido, sobre a ilusáo da realidade do si mesmo.

Já para não falar na irracionalidade doentia, que mancha este começo de século, chamado de Vinte e Um.

beijinhos lúcidos

Multiolhares disse...

Penso muitas vezes que o que trava a nossa evolução espiritual, os caminhos que temos de trilhar, o aprendizado constante é o estarmos convencidos que temos dados adquiridos, que conhecemos ou somos donos da verdade, mas se a verdade não existe, pois cada um de nós interpreta a “ verdade” a seu belo prazer
beijinhos

Rafeiro Perfumado disse...

Eu ao som desta música fecho os olhos, para saborear. Infelizmente assim fico impedido de ler o texto...

Starseed disse...

Para atingirmos o nosso propósito encarnacional temos que derrubar os véus da ilusão para passarmos a ver com clareza!

Beijinhos cósmicos,
starseed

Delirium disse...

Comentando teu comentário no meu blog:
Hahahaha, bate na madeira, quero filho tão cedo não... Nem vem com essa de "nunca se sabe" hahahaha

Te cuida querida ^^

Cantinho dos devaneios disse...

Obrigado!... agora vou sonhar para depois acordar com uma nova ilusão!...

Madalena Barranco disse...

Querida Lyra, aprender com a desilusão e conseguir sentir o aroma da felicidade... Seria isto então, uma grande alegria e conquista dos mistérios da Vida? Obrigada pela bela reflexão.
Beijos
P.S.: espero que seu filho já esteja melhor.

Princesinha disse...

é a primeira vez que venho aqui

amei o texto

amei o blog

parabens!

beijo

Maria Laura disse...

Lúcida reflexão. No fundo, vamos adaptando os nossos sonhos à realidade. Aprendendo, sempre.

CATARINA POETA disse...

Somos o resultado daquilo que pensamos, já disse Siddharta Gautama, o Buda. Esta reflexão me faz pensar o quão grande e o quão pequenos podemos ser, dependendo de onde queremos chegar.
Obrigada pelo carinho de sempre.Fique bem!
Beijo.

Rui disse...

Somos uma construção nunca acabada. Sempre a aprender.

Baudolino disse...

E será que construimos o futuro? Talvez.
abraço
P.

Gerlane disse...

E que tenhamos sempre o objetivo de acertar, embora erremos por força da natureza humana.

Beijo!

Luis F disse...

Mergulhei nas tuas palavras e ao som da musica, deixei-me levar nas reflexões da minha alma...

Parabéns pelo momento

Bjs
Luis

kakauzinha disse...

Viver é uma aprendizagem contínua, é pairar numa ilusão constante nascida de um sonho.

Mas também é aprender a aceitar uma desilusão sem deixar de querer voltar a viver com a ilusão de que se deve sempre sonhar.

Beijinho grande e muito azul, obrigada pela tua visita tão carinhosa(*)

* hemisfério norte disse...

parabéns pela escolha musical.
--
a

des
..i
..l
..u
..s
..ã
..o

do oxelfer<--

sim, há que arrancar as ervas daninhas

bjs
a.
http://miniminimos.blogspot.com/

Sérgio O. Marques disse...

A desilusão, quando não é convenientemente dominada, um dia torna-se num daqueles monstros que voltam vezes sem conta para nos atazanar nas noites mais escuras e solitárias.

Thiago disse...

Bonita música e reflexao. Um beijo e um abraço mediterrânico

Margarida disse...

Palavras sábias...Encadeadas no pensamento que perseguimos, e no desejo que, por vezes, e na maioria das vezes, nao alcançamos!
Belo texto...
um beijinho

Auréola Branca disse...

Consigo perceber o tom romântico a que deste às suas palavras, pela música.
Mas não é só. Suas palavras vibram em mim, por saber exatamente o que esse texto significa.
Sinto tanto por abrir as portas pra ilusão a todo tempo.
Abraços.

Sha disse...

Só a experiência nos permite evitar cometer erros. Mas só cometendo erros adquirimos experiência...

E a vida é isso mesmo: uma constante e interminável aprendizagem.

Beijinho
Sha